Mantenha o seu fluxo de caixa positivo

O fluxo de caixa é o saldo entre as receitas e despesas. Ele deverá ser avaliado em perspectiva futura para análise de tendência. Com tendência de fluxo de caixa positivo e crescente no tempo, mais dinheiro disponível você terá para comprar ativos geradores de renda. 

É importante fazer um orçamento doméstico para entender o comportamento de suas receitas e despesas e definir metas que lhe permita enxugar os excessos e liberar mais saldo sem prejudicar o padrão de vida que você escolheu ter. 

O seu padrão de vida é determinado pela natureza de suas despesas essenciais (alimentação, vestuário, educação, água, luz, telefone, transporte, etc) e despesas sociais (restaurantes, diversão, estética, presentes, etc). 

Em um orçamento equilibrado, deveríamos ter um saldo entre receitas e despesas que privilegiasse pelo menos 20% da renda para a construção de patrimônio. É com a construção de patrimônio que você realizará seus projetos de vida como viagens, compra de imóvel, transição de carreira, ter renda passiva para a independência financeira. Dados empíricos de família de classe média mostram que em um orçamento equilibrado temos 50% dos gastos com despesas essenciais, 30% com despesas sociais e 20% com a compra de ativos financeiros para formação de patrimônio e realização de projetos de vida.

O ponto de atenção no fluxo de caixa são com os ralos que drenam seu dinheiro e não vão para a formação de patrimônio. Normalmente estes ralos vêm de gastos supérfluos originados de compras por impulso e também do custo do dinheiro com juros do crédito. Com um planejamento de metas no orçamento doméstico, você saberá distinguir entre gasto planejado e compra por impulso. Mesmo que decida pelo gasto supérfluo, será um gasto com a consciência do impacto que poderá ter no seu fluxo de caixa. Já o uso de crédito é recomendável desde que seja para financiar a formação de patrimônio como a compra de um imóvel. Deve-se evitar se endividar para financiar o consumo com as despesas essenciais e/ou sociais.

Em resumo:

1. Faça um orçamento doméstico

2. Separe as despesas essenciais e despesas sociais

3. Defina metas para suas despesas

4. Utilize como referência uma distribuição de 50% para despesas essenciais e 30% para despesas sociais

5. Separe 20% para comprar ativos financeiros

 

Deixe um comentário

Newsletter